Chinoca Teimosa / Não Deu Pra Te Esquecer

Chinoca Teimosa

Sempre que pego uma estrada
Que já me fez andarilho
O meu coração potrilho
Vai sofrenando ansiedades
Nem mesmo o calor da tarde
Aquece o frio que sufoca
Da saudade da chinoca
Que se cambiou pra cidade

Até meu pingo estradeiro
Parece entender meu mundo
Insistir em pegar o rumo
Onde vai meu pensamento
Buscar no gemer do vento
Aquela voz tão serena
E o encanto da morena
Que trago atado nos tentos

Eu sei que serei sementes no seu caminho
Regadas por seus carinhos
E luzes pra o seu olhar
Quando a lembrança bater cancela, lá na cidade
Pela estrada desta saudade
Minha chinoca vai retornar

Não deu Pra te esquecer

Quando o amor se perde na distância
A gente vive uma criança
E sai sem rumo por aí
Tentando disfarçar de qualquer jeito
A solidão que invade o peito e não tem hora pra sair
Briga com a saudade feito um louco
E se entrega pouco a pouco aos caprichos da paixão
Busca no toque da lua cheia
O amor que volta e meia dá de rédea ao coração
Duvido que existe alguém no mundo
Que talvez por um segundo
Não viveu uma aventura
O amor quando se vai deixa lembrança,
Só nos resta uma esperança machucando o coração

Andei, andei mas ela não achei
Queria tanto, tanto lhe dizer
Que eu fiz tudo pra esquece – lá
E não consegui
Não deu, não deu prá esquecer.

Voltar